Uma constituição septenária dos números

No capítulo "A Teogonia dos Deuses Criadores" do volume de Simbologia da Doutrina Secreta de H.P.Blavatsky (1831-1891) lemos o seguinte: "Na Teogonia Pitagórica numerava-se e expressava-se numericamente as Hierarquias das Hostes Celestes e dos Deuses."

“O tempo é uma sucessão de números”

“Pitágoras estudou Ciência Esotérica na Índia; eis o que os seus discípulos dizem:

A Mónada [a manifestada] é o princípio de todas as coisas. Da Mónada e da Díada indeterminada (caos), os Números; dos Números, os Pontos; dos Pontos, as Linhas; das Linhas, as Superfícies; das Superfícies, os Sólidos; e desses, os Corpos Sólidos, cujos elementos são quatro: o Fogo, a Água, o Ar e a Terra; em todos os quais, transformados [correlacionados] e totalmente alterados, consiste o Mundo.”

Doutrina Secreta de H.P.Blavatsky (1831-1891)

Os Deuses Criadores são os poderes que, seguindo o plano da Mente Divina (o Grande Arquiteto na simbologia maçónica), constroem os diferentes planos de consciência ou realidade. Se virmos que tudo na Natureza é regido por números e toda a lei se pode expressar numérica e geometricamente, percebemos que será também assim em todos os seus níveis ou planos de consciência. 

O interessante é que este parágrafo apresenta uma “Constituição Septenária” dos Números, que como esta, opera a partir de uma Unidade Abstrata, e mesmo assim manifestada (a base de todos os números, certamente), até aos corpos sólidos.

Na percepção humana, esses sete planos, como a própria H.P.Blavatsy explica, são:

  1. MÓNADA
  2. DÍADA
  3. NÚMEROS
  4. PONTOS
  5. LINHAS
  6. SUPERFÍCIES
  7. SÓLIDOS, dos quais fazem parte os 5 sólidos platónicos, embora aqui só se mencionem os correspondentes à Terra (Cubo), Água (Icosaedro), Ar (Octaedro) e Fogo (Tetraedro).
The 5 Platonic solids

Os Números correspondentes a Manas, ou seja, à mente, são as primeiras diferenciações, pois os números são as cristalizações da mente.

De certa forma os pontos significam a entrada no aqui e no agora, no manifestado (rupa), pois além deles (Números, Díada e Mónada) tudo vive no eterno e permanente, sem forma, subjetivo (arupa). Os pitagóricos representam os Números como Pontos, e desse modo os organizaram em: triangulares, quadrangulares, pentagonais, cúbicos, piramidais, etc.

Dois pontos definem uma linha, como, no Espaço Euclidiano, duas linhas definem uma superfície e tres planos não paralelos o primer volumen, o tetraedro. E como dizia o filósofo Schwaller de Lubicz, o que tem volume incorpora um poder, uma potência: entra no jogo das formas em luta com outras formas, é o plano que permite os corpos sólidos – com os quais tudo o que é material é construído – o equivalente neste esquema ao plano Etéreo.

Além disso, os quatro números da Tetraktis são os que geram tudo o que conhecemos:

D:\Ángeles\NA Portugal\Revista Matemáticas para Filósofos\Artículos para enviar\Matemáticas 4\Constitucion septenaria de los números\Fotos\grafico1.jpg

Nos Volumes ou Sólidos, o primeiro que se gera é o Fogo (o Tetraedro) porque é o Elemento Raiz de todos. Pela mesma razão que o Tetraedro gera os outros três Corpos Platónicos (Ar, Água e Terra), e até o dodecaedro (e o icosaedro com ele) pode ser formado com 5 tetraedros entrelaçados. Dois formam um cubo.  E as seis arestas de um tetraedro convertem-se nos seis vértices de um octaedro.

Dois tetraedros entrelaçados gerando os vértices de um cubo.

5 Tetraedros entrelaçados formando com os seus vértices, os 20 vértices de um dodecaedro e os pontos centrais das 20 faces de um icosaedro.

Partilhar

Deixar uma resposta